É possível educar com respeito?

01/04/2019

                                                                                                            Por Cínthia Andrade

Uma das missões mais importantes, e porque não, difíceis, é a de sermos pais e mães, não é? Somos responsáveis por guiar uma criança nos caminhos do amor e do respeito e muitas vezes nos deparamos com dificuldades! Esses desafios são diários, seja para quem tem mais de um filho, seja para quem está maternando pela primeira vez e às vezes o cansaço, a correria do dia a dia, as dúvidas de como agir em diversos momentos, podem fazer com que oscilemos nos extremos, e na maior parte das vezes agimos com as melhores intenções possíveis!

Aliás, você é a melhor mãe e pai possível, porque só você conhece as necessidades do seu filho!!

E então, nesses dias em que agimos nos extremos, sendo permissivos ou autoritários demais, sentimos um desgaste, sentimos que não estamos dando conta dessa missão.

O cansaço após horas e horas de trabalho, chegamos em casa e usamos de chantagens, ameaças e punições com nossos filhos. Nossa paciência está tão pequena que acabamos mandando demais - faça isso, faça aquilo, pegue isso!

Quando agimos de forma autoritária, somos rígidos, estamos em um lugar de controle e poder, afinal 'Sou eu que mando'. E quando agimos de forma permissiva, podemos usar também de chantagens e não estamos nos respeitando ao fazer todas as vontades das nossas crianças.

Dentro dessa situação toda, afinal, é possível agir de forma respeitosa com nossos filhos, sem estarmos nesses extremos? Sim!! Quando educamos com respeito mútuo, nós pais nos colocamos em situação de igualdade com nossos filhos, nós os ouvimos e somos ouvidos, nós os respeitamos e somos respeitados.

Se agirmos dessa forma, apoiaremos nossos filhos no desenvolvimento de uma série de habilidades emocionais e sociais. Vamos deixar filhos melhores para o mundo!

Precisamos buscar dentro desses desafios diários o conhecimento das nossas dificuldades, para assim buscar melhorar! Somos modelos e exemplo para nossos filhos! Ser modelo não está relacionado à perfeição, pois perfeição não existe e sim, perceber que estamos crescendo, melhorando e evoluindo dentro das relações respeitosas.

As crianças aprendem muito mais nos observando do que quando falamos - 'O que você faz fala tão alto que eu não consigo ouvir o que você diz.' (Murilo Gun - curso cricricri)

Vamos trabalhar então uma parentalidade mais leve e respeitosa, permitindo que nossos filhos se tornem adultos confiantes, gentis, autônomos, criativos, empáticos!


Cinthia Andrade

Educadora Parental pelo PDA - Positive Discipline Association

Idealizadora do @maternidade.positiva (Instagram)