Machista, eu???

02/05/2018

Em tempos de movimentos da causa feminista e empoderamento feminino, me ponho a refletir nos meus comportamentos e atitudes que carregam a cultura machista e patriarcal da nossa sociedade. Será mesmo que nós mulheres não somos, muitas vezes, machistas?


Hoje estava na academia esperando meu marido sair do banheiro com meu filho, eles tinham acabado de fazer natação e estavam no banho. Me dei conta de que haviam algumas outras mães na mesma situação, esperando seus maridos e filhos.

Foi então que começou a me chamar a atenção a ansiedade que as mães estavam de esperar e não demorou muito para uma delas puxar o assunto: - "Nossa! Não é possível, não sei o que tanto demoram lá dentro". E rapidamente as outras começaram com discursos muito parecidos, do tipo "Ah, mas homem é assim mesmo, isso porque é só uma ducha". E logo outra dispara: "Eles se enrolam todos", "não sabem fazer essas coisas". E começaram a falar pejorativamente da forma de cuidar de seus maridos.

Fiquei ali observando e pensando: porque será de tanta ansiedade? Por que será que a maioria de nós, numa roda de mulheres, falamos negativamente de nossos maridos? Por que partimos da ideia de que eles não vão conseguir cuidar direito dos próprios filhos?

Logo os pais começaram a sair, TODOS, felizes com as crianças no colo (o que eu achei muito bacana de ver, eles gostam de participar). Mas todas as crianças enroladas na toalha para a mãe trocar. Poderíamos rapidamente responder, "Tá vendo! Fazem tudo pela metade, sempre sobra para a mãe".

Mas será mesmo? Quantas vezes será que por nossa ansiedade e por ter esse padrão pré-estabelecido que os homens não sabem cuidar direito, nós mulheres exercemos um comportamento machista (no qual o cuidado é função exclusiva da mãe) e não permitimos o pai exercer a função paterna e desenvolver a habilidade do cuidado? Que diga-se de passagem é função de ambos.

Quantas vezes enchemos eles de críticas na hora em que estão cuidando e logo assumimos a situação, ansiosas, irritadas e nos sobrecarregando mais porque temos a convicção que não sabem fazer "do jeito certo"?

Que fique claro! Não estou dizendo que o machismo por parte deles não existe e que os homens não tem sua responsabilidade nisso, principalmente no que diz respeito a obrigação de cuidar dos filhos. Minha reflexão hoje é: E nós, qual é a nossa forma de comportamento, atitude e pensamento que contribui na perpetuação desse padrão?

Me percebo muitas vezes tendo pensamentos automáticos do tipo - Será que ele vai saber fazer a comida? Ou será que ele vai perceber ou acordar se o João passar mal a noite? Sei lá, coisas na maioria das vezes descabidas! Tento me policiar e dividir com meu marido essas minhas reflexões, na esperança de mudar a minha forma de vivenciar isso.

E sim, fomos criadas numa sociedade que contribui muito pra esse padrão, e teriam mil exemplos disso, mas não é a intenção aqui.

A reflexão hoje, volto a dizer, é de questionar como nós mulheres, contribuímos para perpetuar esse padrão machista nos cuidados com os filhos.

Eu tenho um filho pra educar e espero, do fundo do coração, que ele seja extremamente colaborativo com as pessoas que ele escolher viver e conviver. E claro, não quero viver com esse peso de me sentir responsável por tudo e não ter a experiência de ver meu marido criando um vínculo tão forte e com liberdade como eu tento criar o meu com nosso filho. Não quero contribuir para que esse padrão continue.

Quero que meu filho saiba olhar e respeitar pessoas, independente da diferença, seja ela qual for.

E sei que para isso, eu preciso começar a mudar as coisas, porque será em casa que ele vai aprender como se relacionar na vida.

E lá vem o meus meninos...saindo do banheiro.. - Ufa! Coisa linda, os dois saíram arrumadinhos e devidamente vestidos!

É, acho que estamos progredindo e no caminho certo...assim espero! O caminho é longo...e são tantas mudanças por vir!