O amor não vem de graça!

12/06/2018

Amor não vem de graça, amor se constrói com trabalho duro, revendo conceitos pré-estabelecidos, se permitindo errar, ora cedendo espaço ora delimitando os seus limites, revendo seus medos, aprendendo ouvir o ponto de vista do outro. Se constrói no auto-conhecimento que você proporciona a si mesmo e a permissão que dá dentro de si para o outro existir da forma como ele é. 

Hoje é dia de comemorar o amor! Mas será que sabemos mesmo como viver o amor?

Ou antes até disso, será que paramos para refletir o que seria o amor?

Talvez essa seja a emoção e sentimento mais idealizado de todos. A idéia de um amor romântico que nos tira da solidão, enche a vida de luz e resolve todos os problemas quase que num picar de olhos, ou troca de olhares.

Mas o amor não vem de graça! E não é fácil aprende-lo. Sim, isso que estou dizendo, aprende-lo.

É muito mais fácil acreditar que nascemos sabendo amar, mas não. O Amor é aprendido, construído. Toda e qualquer forma de amor real precisa de dedicação e construção.

O Psicólogo Eric Fromm, tem um pensamento interessante sobre isso, ele diz,  "o amor é uma atividade, e não um afeto passivo; é um 'erguimento' e não uma 'queda'. Isso quer dizer que o amor tem um caráter ativo e que antes de tudo, consiste na capacidade de dar.

Mas não se dá o que não se tem, não é? Esse caráter ativo tem a ver com se movimentar, se exercitar, se disponibilizar. Amar dá trabalho! Qualquer tipo de amor dá trabalho, por que eu preciso me empenhar para aprender sobre mim, me dispor a aprender sobre o outro e me comprometer a levar aquele compromisso adiante.

Muita coisa está em jogo numa relação para ela dar certo, e definitivamente não é apenas a paixão ou idealização que fará isso acontecer.

Dentre outros fatores, meu olhar hoje, é para a vontade e decisão que se deve ter para levar um amor adiante. A decisão, a longo prazo, de seguir com a decisão de amar alguém.

Compromisso! Nem todos os relacionamentos irão durar a vida toda, e nem por isso não terão valido a pena ou muito menos que serão reais. Mas a forma que foram vividos e sentidos faz diferença.

É preciso aprender a olhar o outro com amor, a dar a mão com amor, beijar com amor, a se deitar com alguém com amor! Não com a idéia ilusória do amor salvador, mas com a consciência de que o outro é um Ser cheio de afetos, sentimentos e emoções que merece minha postura de amor, e que eu, como um Ser também repleto das mesmas coisas mereço ser tratada, olhada e cuidada com amor.

Não interessa se será por uma noite, ou por toda a vida. Mas é preciso amor!

Precisamos, com urgência, aprender a amar, a construir amor em nós e construir relações mais amorosas.

Amor não vem de graça, amor se constrói com trabalho duro, revendo conceitos pré-estabelecidos, se permitindo errar, ora cedendo espaço ora delimitando os seus limites, revendo seus medos, aprendendo ouvir o ponto de vista do outro. Se constrói no auto-conhecimento que você proporciona a si mesmo e a permissão que dá dentro de si para o outro existir da forma como ele é.

Amor dá trabalho, requer responsabilidade sobre mim, sobre meu comportamento. Requer aprender que minhas atitudes vão afetar a pessoa que convive comigo ou minha família.

E quanto mais aprendo sobre mim e sobre amor, mais experimento um amor livre, sem medos, sem cobranças e sem máscaras. Por que vamos entendendo que amor se constrói; e se constrói dentro de nós, para só depois se fazer amor numa relação com o outro.

Se o amor foi construído em mim e eu compartilho com o outro, não tem o porque me submeter ao que não quero, não tem porque eu me amarrar ou amarrar o outro, ou muito menos ficar ameaçada com a possibilidade do outro ir embora. Esses sentimentos existem quando se tem a sensação que todo bom e amor que existe em si e na própria vida foi o outro que trouxe; logo, se não controlar e garantir a pessoa ao meu lado e posso ficar vazia!

Mas o amor não vem de graça, ele depende muito mais de você pra acontecer na sua vida do que do outro. Talvez por isso seja mais fácil acreditar que o outro vai traze-lo até você, assim não precisa mudar em si o que importa. Porém, quando se trabalha e  se constrói, o amor é arrebatador, enriquecedor, preenchedor, libertador!


Por um dia dos namorados cheios de reflexão sobre o amor e experiências amorosas!!